Quem nos apoia

Apoios

 

Os principais recursos são os docentes que os Agrupamentos Escolares nos afetam, após a devida autorização anual do ME. A escolha destes docentes - que inicialmente queríamos realizar nós mesmos, no perímetro da cidade do Porto, por entrevista com os mais interessados -, passou a ficar a cargo da direção de cada Agrupamento Escolar, com quem realizámos um trabalho prévio de esclarecimento e de negociação.

 

Contamos também com formadores em áreas técnicas colocados pelo IEFP e com funcionários de apoio contratados pela Associação.

 

Como funcionamos habitualmente fora das instalações escolares, dependemos da existência de espaços adequados para este efeito. Temos tido um apoio excelente da SCM do Porto e do seu Provedor, Dr. António Tavares, que nos cedeu dois belos espaços seus. Pensámos alargar a outras instituições a possibilidade de realizarem esta cedência de espaços físicos adequados, e obtivemos o apoio da SCM de Gaia, para abrir, em 2016/17, o polo 3 do Arco Maior, perto da Serra do Pilar, num espaço que foi recuperado e adaptado com o apoio essencial da Câmara Municipal de VN de Gaia.

 

Estando deste modo cobertas perto de 80% das despesas destes projetos (os professores e técnicos colocados pelas escolas), é ainda preciso pagar as despesas de funcionamento diário e as despesas de transporte dos alunos, bem como as aquisições de algum equipamento.

 

De início, obtivemos o apoio financeiro da Fundação António Manuel da Mota, que nos assegurou a maior parte do financiamento dos dois primeiros anos do Arco1.  A família do Sr. Alexandre Soares dos Santos (que presidiu ao Grupo Jerónimo Martins), decidiu assegurar a maior parte do financiamento do funcionamento dos quatro polos, com cerca de 120 jovens, desde 2015/16 até à atualidade, demonstrando uma solicitude e uma dedicação cidadã exemplares.